quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Do Sofá,Parte II

O que pode inspirar uma borboleta na linha do teto com a parede lateral?Talvez um escapulir de lembrança, mas lembrança de que, afinal nunca vivi nada que se aproxime de borboleta na linha do teto, ou será que vivi?

E essa porta em contraste com o muro com musgo lá fora, o que me inspira?Inspira-me uma boa olhada, olhada que sinto que bate lá no calcanhar e que volta para mais uma vez torna-se “olhada”.
Isso me inspira e boto pra fora antes mesmo de se tornar algum vestígio de expressão do tipo “eu, eu mesmo, somente eu”.A casa em silêncio e que em tempos anteriores quando eu ainda criança esfriava a barriga de medo, medo dos seus grandes olhos, hoje se foi o medo, ficaram os olhos, e que eu particularmente gosto mais pela manhã.

E se nos ouvidos fosse posto algodão, nos olhos os “tapa”, na boca fita e prendesse toda a respiração?


...Ainda não seria o bastante pela centena de milhares que são a colônia, deixada a viver na ilha.


Gilliard Bastos.

2 comentários:

Thata Diacronia disse...

É quando crescemos deixamos muitas coisas para trás ....

b-jokas

Ju :) disse...

Atualizaaa, jibóia! Saudade...